terça-feira, 25 de julho de 2017

Desalinhamento

Dia sonolento e longo.
Cheiro de café fresco na cozinha.
Sombra refletida na janela.
E a inquietude que azucrina.

O vazio invade o espaço.
Traz uma sensação infinita.
Sentimentos se misturam.
Coração bate forte. A alma grita.

É a desconstrução do construído.
O avesso de uma mesa posta.
O início de um redemoinho.
O desalinhar. A reviravolta.

* Texto de Autoria de Maria Auxiliadora Negreiros de Figueiredo Nery.